Muitas vezes ouço dizer que as pessoas no BDSM seguem milhares de protocolos. Isto simplesmente não é verdade. O que essas pessoas têm são SUAS regras.
Como ocorre com tudo em BDSM não existem bases claras, direitos, regras ou protocolo. As regras/bases/protocolo são individualizadas. Alguns seguem a Velha Guarda, outros preferem a Nova Guarda e outros têm suas próprias maneiras. Tudo o que importa é que quem está envolvido numa relação de BDSM compreende e concorda como essas bases/regras/protocolo/orientações são utilizadas.
Aqui coloco algumas coisas para você pensar e ponderar. Você pode concordar ou discordar com algo ou com tudo que está escrito abaixo. São coisas que ouvi ao longo de alguns anos e que são praticadas por pessoas envolvidas em BDSM.

Não significa que concorde com o que está na lista. Esta lista está aqui simplesmente para você olhar, pensar e criar os seus próprios fundamentos / regras / protocolo / orientações, independentemente se você é Dom ou sub.

Direitos humanos básicos, cortesia e respeito às leis se aplicam sempre, não importa sua procedência ou posição numa relação BDSM.

Possuir maneiras e cortesia normais, tal como o resto da sociedade. Portanto, só porque você alega ser uma Dominadora não espere poder tratar todos os submissos como se fosse seu submisso, que isso NÃO É CERTO. Só porque você alega ser um submisso não espere que toda Dominadora o trate como se pertencesse a ela, que isso NÃO É CERTO.
Ninguém deve esperar que um submisso obedeça a uma Domme ou que uma Domme dê ordens a ele, quando não existe um relacionamento entre eles.
Até que o submisso declare sua submissão, nenhuma Domme tem o direito de intimidar, forçar ou tirar sua liberdade.
Até que uma Domme tenha aceitado sua submissão, nenhum submisso tem o direito de tentar manipular, se intitular, ou forçá-lo a tirar sua liberdade.
Ambos devem ter confiança e respeito mútuos, não devem mentir ou ocultar coisas um do outro, nem devem aceitar que o outro faça isso.
Ambos devem ser emocional e fisicamente sãos e esperar que assim permaneçam em todo e qualquer relacionamento.
Ambos devem ter o tempo que eles sentem que necessitam e não permitir que o outro o force ou apresse em NADA.
Submissos não esperem sua Dona para corrigir ou resolver todos os seus problemas. Certamente sua Dona quer ouvir sobre a sua vida, mas ela não quer ouvi-lo falar de seus problemas de forma contínua, se tem problemas reais, procure um terapeuta. Isso serve também para a Domme, se você está constantemente descarregando seus problemas em seus submissos, você está apenas pesando-os com coisas que eles não podem suportar (e eles querem fazer tudo para que você se sinta confortável), se você tiver problemas reais vá ver um terapeuta.
É esperado dos submissos que obedeçam imediatamente e não questionem ordens, desejos e caprichos da Dona.
O submisso deve dizer à Dona o que gostaria que ela fizesse ou o que não está sendo cumprido dentro do que foi negociado entre ambos.
Uma Domme pode manifestar ternura, amor e compreensão quando ela desejar e isso não deve ser encarado como demonstração de fraqueza perante o submisso.
O submisso deve ser autorizado a expressar a carência de ternura, amor e compreensão quando sentir necessidade.
O submisso deve esperar ser autorizado a fazer perguntas, desde que sejam feitas respeitosamente.
Uma Domme tem o direito de parar qualquer sessão a qualquer momento.
Um submisso tem o direito de parar uma sessão a qualquer momento usando a  “ safe word” combinada previamente.
Uma Domme nunca deve se sentir culpada pela aplicação de uma punição, ela serve para que o submisso aprenda a cumprir suas responsabilidades para com sua Dona.
Ambos nunca devem ser abusivos um com o outro.
Um submisso jamais deve se considerar uma pessoa fraca por ser uma pessoa submissa. Ele deve ter em mente que é forte o suficiente para admitir que dentro de si existe o desejo de servir, obedecer e agradar  sua Dona.
O submisso deve sempre estar preparado para agradar sua Dona em qualquer lugar, em qualquer momento, não importa em que circunstâncias ou quem está em volta.
O comportamento de um submisso reflete diretamente em sua Dona, por isso deve agir conforme as expectativas de sua Dona em todos os momentos.
A menos que expressamente concedidos nenhum submisso tem qualquer direito ou privilégio em sua relação com sua Dona. E quaisquer direitos ou privilégios dados podem ser retirados a qualquer momento pela Dona. 
A Domme treina, ensina e dá forma ao seu submisso, de acordo com os seus desejos e anseios. Isso torna os seus submissos valiosos para ela. 
A Domme tem a última palavra em todas as questões ou problemas. O submisso deve acreditar que sua Dona usou o seu julgamento e equilíbrio ao tomar as decisões.
Nenhum submisso pode libertar-se de suas funções, serviços, entregar a coleira, terminar o relacionamento sem que a Domme dê sua aprovação prévia e consentimento.
Uma Domme pode ter tantos submissos quanto ela desejar ou necessitar.
Um submisso deve manter a mente aberta a experimentar coisas novas  expandindo seus limites.
Um submisso nunca deve a pensar que ele é melhor do que outro.
O submisso deve pedir ajuda, se sentir necessidade.

A quantidade de regras/ leis/ normas/ é grande e variada. cabe a cada um criar e aceitar as suas prórpias e colocá-las em prática com responsabilidade.

 

Uma resposta to “”

  1. yourslave Says:

    bonitas palavras ditas por tao doces lábios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: